sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Macaco de auditório

Quando garoto, aos 14 anos e estudando no Brás, passava eu a voltar para o centro da cidade ao invés de ir para casa. Meu refúgio era a rádio Nacional de São Paulo PR-G 9. Seu estúdio tinha saído da Rua 24 de maio indo para a Rua Sebastião Pereira, praticamente no centro da cidade.
Ali eu ficava sentado, vendo grandes artistas ensaiarem. Ângela Maria, Agostinho dos Santos, a miss Brasil da época Marta Rocha, para quem não sabe dava uma de cantora também. E a sensacional estrela de São Paulo, Hebe Camargo, que embalou muitos corações, com aquele rostinho sensual, sobrancelhas grossas, cabelos escuros, abaixo do ombro.
Na rádio nacional a programação começava a esquentar às 11 horas da manhã com a parada de sucessos, apresentada por Helio de Alencar. Depois, vinha dona Rinsoleta, patrocinado pelo sabão Rinso. Um papinho rápido da Raquel Martins, para as donas de casa, preços da feira, alguma coisa de culinária. Depois dela, Valter Foster completava com a conversa do meio dia. Um papo de homem para homem. Pescaria, futebol, puladas de cerca, por ai.
Depois, vinha o que todo mundo esperava; o programa Manoel de Nóbrega. Vários quadros engraçados havia; Zé da bronca, Caçador e Águia Negra. Foi ai que surgiu o Ronald Golias. Ele fazia dupla com Carlos Alberto de Nóbrega. O programa finalizava com a escolinha de grupo em que Manoel de Nóbrega fazia o professor. Tinha vários comediantes sensacionais. Rona
ld Golias fazia o aluno escachado, Valter Ribeiro dos Santos era o japonês. Embora de japonês não tivesse nada. Era muito engraçado quando o professor (Manoel de Nóbrega) ao mandar calar a boca, dizendo: cale-se! A resposta dele meio “japonezada”:
- Já vai beber PARDARO. Ele queria dizer Pardal.
Aproveitando que eu sempre ia a Radio Nacional, minha mãe me mandava levar roupas para a Sarita Campos distribuir aos pobres. Ela tinha um programa que começava depois do programa Manoel de Nóbrega. E eu tinha que entregar nas mãos dela. Determinação de dona Orlinda.
Aos sábados, eu ia após o almoço assistir o programa “Galera do Nelson”, que era apresentado por Nelson de Oliveira. Era um musical onde apareciam bastantes cantores. Agostinho dos Santos estava em início de carreira, que ele começou no programa de calouros da radio América. Salomão faz justiça, apresentado por um jovem radialista que veio do interior (Santa Rita do Passa Quatro) Chamado Salomão Esper.
Na Galera do Nelson tinha sempre a presença da cantora Santista e Calunga, Joara Gonçalves, também Leny Eversong, uma loira de cabelos encaracolados, gordinha e que cantava divinamente, era outra que participava de todos os programas da PRG 9, rádio nacional.
Aos domingos a radio nacional transmitia os jogos de futebo,l com a equipe de Wilson Brasil, Jaime Moreira Filho, Edson França, Geraldo Tassinari, Helio Prioli e Milton Galdão. À noite, às 19 horas tinha o programa “A Felicidade Bate a Sua Porta”, que era apresentado por Raquel Martins no estúdio e Nelson Oliveira na Rua. Era um programa de prêmios patrocinado por UFE (União fabril Exportadora) e o produto mais comercializado era o sabão platino, tinha ta
mbém a linha de limpeza, etc. O Bairro a ser visitado já tinha sido sorteado na semana anterior. Raquel Martins sorteava o nome da Rua e Nelson de Oliveira ia do inicio ao fim para dizer de como começava e terminava a numeração. Ai, era feito o sorteio do numero e a casa sorteada, caso tivesse os produtos da UFE, ganhava todos os prêmios.
No caso de não haver o número, a casa de numeração anterior seria a visitada. Depois de uma entrevista com a moradora, vinha a estrela de São Paulo, Hebe Camargo, para fazer o encerramento do show.
Em 1953 o bairro do Brooklin foi sorteado, e a rua foi a Nebraska. Valeu à pena ver a Hebe Camargo de perto. Era muito linda.

Por Mário Lopomo

12 comentários:

Miguel S. G. Chammas disse...

Boas lembranças Mario. Eu assiti ao vivo e à cores a todos esses programas lembrados por voce.
Frequentei mjito o auditorio da Rádkio Nacional na Rua 24 de Maio.
Valeu sua recordação.

mlopomo44@gmail.com disse...

num falava nada em Migué! Macaco de arditótio, heim...

MLopomo disse...

Sônia. Belas fotos, você colocou. A Emilinha e a linda Marta Rocha, a miss Brasil mais bonita de todos os tempos...A foto do auditorio colocou eu, mais ainda naqueles tempos, creio que o Miguel tambem. Muito Legal

Arthur Miranda disse...

Mario,
Não cheguei a frequentar o Auditorio da Radio na 24 de Maio, mas frequentei diariamente na Sebastião Pereira, e acho que provavelmente sem saber nos esbarramos por lá, eu você e o Miguel, me Lembro dos comediantes Farid Riskala- Manoel Inocencio, Aluisio Silva Araujo,( e sua cadeira de barbeiro, Cabo Pitanga, Canarinho, e a comediante Tilde Serato.
Parabéns pelo preciso relato

Wilsonnatale disse...

Beleza, Lopomo!
Nessa época eu era pequeno. Não fui Macaco de Auditório, mas fui um Macaco Ouvinte da Rádio Nacional (risos).
E dessa rádio ficou duas lembranças vivíssimas e aterradoras:notícias da guerra da Coréia e da guerra pelo Canal de Suez.Eram notícias de última hora, introduzidas por uma música forte.
A outra lembrança, por volta de 1955/56, era o Programa Silvio Santos, após o Programa Manoel de Nobrega. Tempo em que o Silvio lançou o seu Baú da Felicidade. Baú que era repleto de brinquedos e que se pagava em suaves prestações até o Natal.
E lembro muito da Sarita Campos que fazia adaptações e escrevia textos maravilhosos.
Valeu por essa viagem auditorial e radiofônica!
Abração,
Natale

MLopomo disse...

Natale uma correção: Em 1955-56 não existia o bau da fekicidade. O Bau (de madeira) foi criado por Nobrega e um Alemão em 1957. Nobrega fazia propaganda na radio Nacional e o Alemão recebia o dinheiro. Ele fugiu com a grana e o Nobrega ficou com o mico na mão. Ai ele chamou o Silvio para livrar a cara dele. o que o "Peru" conseguiu. Em 1958 o Nobrega deu de mão beijada o Bau para o Silvio e, em 1958 veio o primeiro carnê.E o Silvio ficou rico.

Wilsonnatale disse...

Lopomo: Precisei a data em que ouvia o peograma SS. Não sabia que foi em Sabia que foi nos anos 50. Lembro d propaganda que o Silvio Fazia.
Valeu pela correção!
Abração,
Natale

Soninha disse...

Olá, Mário!

Legal seu texto! Veio acrescentar valores a este espaço, ajudando a resgatar as memórias de nossa querida cidade de São Paulo.
Valeu!
Obrigada.
Muita paz!

Modesto disse...

Feliz recordação, Mario, eu lembro de todos os nomes citados e de todos os programas e estações que vc mencionou.
Não saberia citar como vc fez mas, lendo sua narrativa, refrescaste minha memória que anda meio embotada, ultimamente. Parece que só a Hebe e a Angela Maria estão vivas, né? Parabéns, Lopomo.
Modesto

Leonello Tesser (Nelinho) disse...

Mário, parabéns por sacudir a poeira de nossa memoria e nos fazer relembrar antigos programas de rádio que marcaram época, infelizmente hoje o rádio mudou muito, abraços, Nelinho.

MLopomo disse...

Modesto. Alem da Hebe Camargo e Angela Maria, estão vivos Carlos Alberto de Nobrega e Salomão Esper.Carlos Alberto 74 e salomão 81, um que não citei e fiquei feliz em saber que está vivo, é Antonio Rago que tinha o conjunto musical da radio nacional.Rago está com 94 anos.

suely schrnaer disse...

Bons tempos, boas rádios. Sou AM totalmente. Parabéns!